E o que falar das emoções?

Estávamos todas ali, na enfermaria oncológica do CAISM-UNICAMP esperando pela cirurgia e confirmação do nosso diagnóstico. Foi interessante como nos entrosamos rápido. Parecíamos ter sede de compartilhar, desabafar, chorar, se indignar… tínhamos mesmo algo em comum naquele momento tão difícil, algo mais do que o simples fato de estarmos ali.

Eu e minha colega de quarto éramos as mais novas pacientes do pedaço (novas de idade mesmo). E por curiosidade para saber por que moças tão novinhas estavam ali, outras mulheres acabaram se juntando a nós e o aconchego daquele quarto cheio de corações ansiosos para conversar favoreceu uma informal terapia de grupo. Aquela situação ainda era muito nova e constrangedora para mim, mas iniciei a conversa perguntando:  meninas, como vocês estavam antes de descobrir o câncer? Como era o estado de espírito de vocês?

Daí, as palavras começaram a pipocar… “mágoa, muita mágoa do meu ex-marido”, “não consigo esquecer o que meu pai fez comigo”, “eu sou muito de guardar as coisas sabe? Raramente falo o que penso”, “estava sufocada pelas demandas do meu trabalho”, “eu sempre penso primeiro nas outras pessoas pra depois pensar em mim”… e por aí foi… Então uma das senhoras presentes exclamou, “percebo que aqui então não tem ninguém no lugar errado!” E realmente, para muitas de nós ali, a notícia do temido diagnóstico não parecia mesmo uma grande surpresa.

Desde aquele dia, venho conversando com várias pacientes nos corredores de hospitais onde ando visitando. E os relatos de emoções carregadas de rancor, decepção, mágoa, frustração e tristeza estão presentes na maioria de nossas conversas. Esses sentimentos estão relacionados à personalidade tipo-C, também chamada de personalidade “cancerígena”. Mas, tomo o cuidado aqui de não estereotipar quem já teve ou tem o câncer e também de não me sentir culpada por possuir determinados sentimentos que puderam favorecer o crescimento do tumor que havia em mim. Essas caracterizações da personalidade, a meu ver, servem para alertar-nos das emoções e sentimentos que estão em descompasso com a nossa saúde. E estes sim, não podem ser cultivados em nosso coração!

Não podemos fazer do nosso coração uma cômoda de gavetas entulhadas de sentimentos ruins. O interessante é que, como cristã, já sabia dos sábios conselhos das Escrituras Sagradas para administrar melhor minha ansiedade, preocupação e solicitude pela vida. Mas, de alguma forma, meses antes do diagnóstico, as sábias palavras do meu Criador e Pai tinham ficado distantes…

Hoje, essas mesmas palavras retornam com muito mais sabor e cheias de signficado para mim, ajudando-me a abrir as gavetas entulhadas e a limpar o lugar que sempre pertenceu ao Rei dos Reis! Hoje tenho em minha memória o que pode me dar esperança!

Anúncios

Marcado:

12 pensamentos sobre “E o que falar das emoções?

  1. Juliana 04/07/2011 às 22:15 Reply

    Amiga, que saudade de vc! Estou aqui no seu blog sendo edificada!
    E sempre orando para que Deus continue te sustentando!
    Vc é muito especial! Ju Assis

  2. Pri 04/07/2011 às 22:35 Reply

    O que você tem em seu coração agora me fez arrepiar, Desa, de tão puro e sincero. Obrigada por dividir isso! Saudades de você, forrozeira! =)

  3. Davi E Tais Andrade 04/07/2011 às 23:44 Reply

    Lindo post! Tbm fui edificada pelas tuas palavras! Beijinhos

  4. Dressa 05/07/2011 às 17:51 Reply

    É sempre bom poder ler o que você escreve! Não só agora, depois de todos os últimos acontecimentos, mas sempre foi bom ler o que você escrevia em seus “longos” e-mails! Sempre fui edificada pelas suas palavras. Não sei se já lhe disse, mas você sempre foi um referencial de vida cristã para minha vida! Sempre gostei demais de você amiga querida, e tenho saudade dos momentos de compartilhar. Espero em breve vê-la!
    Bjão

  5. Eloísa 05/07/2011 às 22:45 Reply

    Amiga querida,
    Tenha a certeza de que a sua experiência compartilhada tem sido fonte de estímulo, de força, de exemplo e principalmente de MUDANÇA! ]
    Desa, é isso mesmo, nós ficamos estagnadas em nossos conhecimentos sobre como a Palavra nos instrui viver, porém na hora de experimentar essa vida que Ele nos deu não utilizamos as dicas que Jesus nos deixou.
    Obrigada pelo alerta!
    Estou “devorando” o livro anti-cancer.
    Bjos
    Amo vc!

  6. Fabiana Monte Alto 06/07/2011 às 07:09 Reply

    Até que enfim te achei!!! Como é maravilhoso ver o agir de Deus em sua vida.
    E como Deus tem transformado o seu pranto em festa!
    Vou estar sempre juntinho viu???
    Deus tem o melhor pra ti.
    Bjocas e fique na PAZ!

  7. Vania Lima 06/07/2011 às 07:12 Reply

    “Quero trazer a memória, aquilo que me da esperança” Como Deus eh fiel!!! Aprendendo hj a limpar os entulhos para nao sofrer as consequências amanha 🙂 Bjs!

  8. Gabriela 06/07/2011 às 21:52 Reply

    Obrigada por dividir isso… nos faz pensar muito na nossa vida, nos nossos sentimentos e crenças. Beijos amiga, saudades!

  9. Vívian Muniz 14/07/2011 às 15:28 Reply

    Oi amiga!
    Saudades!
    Adorei seu blog! PARABÉNS!!
    Que Deus continue te usando para edificar outras vidas!!
    BEijos
    Vívian

  10. Giovanna Amaral 15/07/2011 às 14:56 Reply

    Ai ai… só Deus mesmo para corrigir estas “letrinhas” doentias da nossa personalidade! Tenho descoberto que a oração é um bom caminho para isto!

  11. Michelly 15/07/2011 às 19:19 Reply

    Andresa, sinto honrada em ler o seu blog e que sirva de exemplo para muitas pessoas. Parabéns!!!!

  12. […] capítulos deste blog disse que falaria de 4 fatores que afetaram a minha saúde: 1. o stress e o estado emocional, 2. a alimentação, 3. a atividade física, 4. a espiritualidade (digo, meu relacionamento com o […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: