A fisioterapeuta que não se movimentava direito

Uma das lições mais importantes que tenho aprendido no meu processo de entendimento do que aconteceu com a minha saúde é que a vida é dinâmica e precisa ser vivida com movimento e fluidez. A vida tem ritmo e nós também. E quando paramos de nos movimentar, enquanto tudo se movimenta ao nosso redor, ficamos em descompasso com a vida. Acho que o que estou tentando filosofar aqui é que o sedentarismo (e hoje também acho que além do físico, existe o sedentarismo mental e espiritual) favorece o aparecimento de doenças em nosso organismo. E que também movimentar-se em um ritmo irregular e esporádico pode ser um engano para a nossa saúde. Não quero trazer aqui estudos sobre o exercício e seus benefícios à saúde, pois disto a internet e os programas de TV estão cheios.  E mais para frente falarei sobre algumas evidências científicas da relação entre a atividade física e o câncer. Hoje, apenas trarei à luz o que tenho observado em pessoas saudáveis e em mim mesma, essa pessoa que se adoeceu, mas que vem se recuperando com algum aprendizado.

Figura retirada do ClipArt, Microsoft Office Word 2007

O que eu percebo, e muitos de vocês já devem ter notado, é que as pessoas que são equilibradamente mais ativas, tanto fisicamente quanto mentalmente, são as que menos sofrem de doenças e vivem com mais qualidade de vida. Eu fiz um estudo de caso da minha mãe, a pessoa mais ativa e saudável e que está mais perto de mim agora. Ela toma seu cafezinho com açúcar de manhã e de tarde, nunca fez grandes modificações na sua dieta, mas come bem e de forma equilibrada, e sem exageros. Não pára de se movimentar um minuto, e em atividades do lar mesmo… varrendo, passando pano no chão, tirando a poeira, lavando roupa, cozinhando… todo santo dia, menos no dia santo. E ainda quando sobra um tempinho, faz caminhadas com as amigas ou vai para a hidroginástica. Nunca vi minha mãe parada dentro de casa, remoendo coisas ruins em seu coração.

Agora, a filha dela já não foi pelo mesmo caminho. Eu sempre tive um tipo meio atlético, mas nunca fiz jus ao meu porte. Sempre pratiquei atividades físicas irregulares como o surf, a nadadinha na praia e a caminhada de vez em quando, o voleibol semanal… todas eram atividades que não davam para ser praticadas com regularidade e no ritmo para um condicionamento físico ideal. E com isto, a partir de um certo momento na minha vida, fui maqueando o meu sedentarismo com esses irregulares exercícios. Acho que é por isso que a barriguinha sempre esteve lá… daqui em diante não entrarei em detalhes (rs).

Enfim, não quero mais viver uma vida arritmada e sem movimento. Ainda há tempo de fazer mudanças consideráveis. De me disciplinar para entrar no ritmo de um bom condicionamento físico e mental. Pois enquanto há vida, há movimento!

Anúncios

Marcado:,

3 pensamentos sobre “A fisioterapeuta que não se movimentava direito

  1. keila 21/07/2011 às 22:03 Reply

    Desa vc nao sabe como esse blog tem me ajudado.

  2. Andrea Carolina Martins Ramos Santos 22/07/2011 às 10:28 Reply

    Ai, ai… Nem vou dizer nada da barriguinha aqui… Tb preciso me movimentar!!!
    Obrigada por escrever pra gente, Desa!
    Beijos!

  3. […] 4 fatores que afetaram a minha saúde: 1. o stress e o estado emocional, 2. a alimentação, 3. a atividade física, 4. a espiritualidade (digo, meu relacionamento com o Deus da Bíblia). Hoje, acredito realmente […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: