Arquivo da categoria: Diagnóstico

O Natal de 5 anos atrás… O Natal de hoje!

Há exatamente 5 Natais atrás eu chegava ao Brasil com uma notícia nada boa. Tinha acabado de descobrir que um tumor gigantesco crescia em meu ovário esquerdo. O diagnóstico não foi fechado no Canadá. Mas as imagens eram assustadoras. Revelava um tumor que crescia rápido e que já estava com mais de 11 cm levando ao acúmulo de líquido e inflamação em todo o meu abdômen. Eu parecia uma grávida de 4 meses.

Ao chegar ao Brasil, minha família assustada, claro, me recebe com o carinho de sempre e tudo o que eu pude fazer foi chorar no colo de minha mãe. A jornada para retirada e tratamento daquele tumor acabava de começar. E graças a Deus eu tive a minha família por perto.

O nosso Natal e Ano Novo foi de medo e pavor. Eu perguntava “O que será que Deus tem para mim?”, sem saber ao certo ainda aonde iria me tratar. Com a ajuda de algumas amigas médicas, destaco aqui o apoio de Jussara Mayrink e Ana Raquel Gouvea Santos, consegui vaga na Unicamp para fazer a cirurgia.

A consulta médica foi onde recebi o pior diagnóstico de minha vida. “Devido ao crescimento rápido de seu tumor, e dependendo da patologia do tumor, teremos que fazer uma cirurgia mais agressiva, talvez retirando o seu útero, seus 2 ovários e parte do seu intestino.” A médica perguntou, “você tem filhos? Tem vontade de ter? Podemos arranjar de você preservar seus óvulos, mas isso vai atrasar o seu tratamento”. Tive que pensar rápido e a única coisa que falei foi, “Como não sou casada e nem sei se um dia serei, por favor doutora, retire logo esse tumor de mim!”

Minha mãe e eu fomos para casa atordoadas, mudas, pensativas, aflitas e com o coração na mão. Quando chegamos na casa em que nos hospedávamos em Campinas, a única coisa que conseguimos fazer foi nos prostar de joelhos diante do nosso Todo Poderoso Deus e clamarmos por sua misericórdia. Ali choramos muito, e pedimos a Deus que me livrasse do pior. Queria viver. Queria pensar que tudo aquilo não passava de um pesadelo e que logo iria acabar.

Naquele mesmo dia à noite, clamamos novamente ao Senhor, pois apesar de todas essas notícias ruins eu e minha mãe confiávamos em Deus e queríamos dormir em paz. Então entregamos tudo em suas mãos crendo que Ele é poderoso para curar. Enquanto clamava ao Senhor senti um toque com um calor sobrenatural em minha barriga do lado esquerdo. Era tão conchegante aquele calor. Trazia tanta paz. Mas, ainda, não podia ter certeza do que estava acontecendo. Confiamos tudo ao Senhor e fomos dormir.

No dia seguinte, a minha barriga estava bem menos inchada. A dor tinha desaparecido. E minha mãe notou. E eu também. Mas, ainda podia sentir o tumor. A cirurgia estava marcada para dali há 3 dias.

Fomos confiantes para o centro cirúrgico. Confiantes em Deus. Sabiamos que minha vida não estava somente nas mãos dos médicos. Naquele dia senti uma paz que o mundo nem os médicos podiam me dar. Sabia que Deus estava ali comigo.

Ao acordar na sala de recuperação, sentia que um facão tinha cortado minha barriga de cima em baixo. Mas estava bem. Ao olhar para o lado, ali estava a amiga e doutora Jussara a anunciar, “sua situação estava bem melhor do que esperávamos, retiramos todo o ovário esquerdo com o tumor maligno e outros 3 pequenos tumores benignos que estavam no seu ovário direito. Não vimos aquele líquido e inflamação todos que estava nos exames de seu abdômen. Acredito que Deus fez um milagre. A boa notícia é que conseguimos preservar seu ovário direito. Agora vai casar e ter filhos!”. Disse a Dra. Jussara num tom de amizade e esperança. Eu pensei, “é Senhor, tudo está em Suas mãos”.

Com o resultado dos exames anátomo-patológicos, recebi a notícia que a quimioterapia ainda seria necessária. Mais para a prevenção do que para o tratamento. Porque graças ao bondoso Deus, as células cancerígenas nunca mais voltaram.

Encurtando a história para caber neste post, eu fiz a quimioterapia, meus cabelos caíram todos, e durante todo esse processo de dor e redescoberta, encontro o meu futuro e lindo esposo em meio a um grupo de amigos bem queridos em Sao Paulo. Parte da nossa história foi registrada aqui. O Carlos é um presente de Deus na minha vida!

Nos casamos em Agosto de 2012, 1 ano e 8 meses depois da cirurgia. Nossa cerimônia foi registrada aqui no blog também. Era só o começo de uma vida de amor e esperança. Era a história bondosa de Deus se revelando através de nossas vidas. E assim Deus foi derramando de sua bondade e misericórdia. Sabíamos que Ele tinha um plano para nós e que tudo que experimentássemos como família seria para a glória Dele.

O nosso Deus Bondoso e Todo Poderoso, cheio de graça e misericórdia, nos abençoou! Depois de um aborto espontâneo em Abril de 2014, eis que nós estamos grávidos de um lindo bebê que amanhã completa 16 semanas.

Neste Natal, 5 anos depois, estou realmente grávida de 4 meses. E ao contrário do Natal de 2010, hoje espero uma vida em meu ventre. A sombra da morte foi dissipada. E Deus, por sua bondade e misericórdia, me encheu de vida.

Foi impossível não se emocionar ao escrever esse relato no dia de hoje. Me sinto agraciada. Sei que não mereço. Sei que é a bondade e o amor do nosso Pai que nos presenteou com um filho. Sabemos que tudo é para a Sua glória! Sabemos em quem temos crido! É por Ele e para Ele que vivemos! Toda a glória seja dada ao Senhor Jesus! Feliz Natal a todos!

“Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito,
para que Cristo habite em seus corações mediante a fé; e oro para que vocês, arraigados e alicerçados em amor,
possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade,
e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus.
Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós,
a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!”
Efésios 3:16-21

Natal_com_bebe
Anúncios

17 de Dezembro nunca mais será o mesmo!

Dezessete de Dezembro de 2010 foi o dia em que eu diagnostiquei um tumor no meu ovário. Eu pensei que não fosse ficar reflexiva nem nostálgica nesse mesmo dia, só que 1 ano depois. Afinal, tudo já passou e ficou para trás e a cada dia me recupero mais e sinto a saúde tomar conta do meu corpo de novo! Mas, a reflexão veio… não pude evitar… e hoje compartilho aqui com vocês.

Qual a importância de lembrarmos de fatos marcantes da nossa vida? Especialmente a mim, lembrar de um dia como esses, onde se diagnostica um câncer, é muito intenso e relevante e me traz à memória o grande aprendizado que tive com todo esse processo de redescoberta, de tratamento, de cura interior, da graça de Deus, do amor da família e dos amigos e de ter esperança sempre! Uma esperança que não surgiu do nada, mas que veio da certeza que Aquele que me criou, me ama e me ensina, ainda que em situações adversas como essa.

O que eu aprendi com tudo isso? Aprendi a me alimentar melhor, a controlar melhor minhas emoções, a me organizar melhor (ainda que a passos lentos), a descansar melhor e se Deus quiser, agora retomando os estudos, a trabalhar melhor também! Isso tudo foi fruto do cuidado de Deus para comigo, me ensinando que eu poderia sim, lidar melhor com certos aspectos da minha vida. A vida é para ser melhorada a cada dia! E em um mundo onde as coisas só parecem piorar, é realmente desafiador buscar uma vida de excelência!

Então, ao contrastar o 17/12/2010 com o 17/12/2011 só me faz ser ainda mais agradecida por tudo o que passei, e por todas as dádivas e bênçãos que me foram dadas durante todo este ano! Na primeira data, estava com medo, estressada e longe da família e minha sobrinha ainda estava intra-útero. Na segunda data, estou mais confiante, descansada, perto da família e minha sobrinha linda já está com 5 meses de pura saúde e beleza! No ano passado, chorei o final de semana inteiro e em alguns momentos me senti só. Neste ano, celebrei a união dos meus primos (Laiane e Leandro) e o reecontro de familiares queridos se deu no final de semana inteiro… muita gente para celebrar a vida!

A vida nos é dada todos os dias, com a graça e misericórdia divinas, para ser valorizada, apreciada e desenvolvida com dedicação, expressando o amor e a vida dAquele que nos amou primeiro e que nos garante a vida para além da vida que aqui temos!

VIVA LA VERDADEIRA VIDA! 😉

Mas, o que você sentiu?

Olá querida leitora,

Este post é para alertar você dos sintomas do câncer de ovário. No meu caso, foi através de um alerta por email sobre o câncer de ovário é que eu corri para fazer o ultrassom e descobri o tumor em tempo de ser retirado sem que ele se espalhasse para outros órgãos. A minha atitude de buscar logo o socorro aliada à graça e ao poder de Deus (sempre presentes!), proporcionaram o sucesso do meu tratamento! 🙂

Então vamos direto ao assunto! O email que eu recebi listava os seguintes sintomas:

* Pelve ou abdômen inchados, entumescidos e/ou com sensação de cheio;

* Vagos mas persistentes problemas gastrointestinais como gases, náuseas e indigestões;

* Mudanças inexplicáveis dos seus hábitos intestinais;

* Vontade de urinar freqüente e/ou urgente, sem que tenha alguma infecção; 

* Cansaço e perda ou ganho de peso inexplicáceis;

É exatamente o que eu senti! Fique atenta e procure o médico caso os sintomas que eu listei acima persistam por mais de 2 semanas!!

O câncer de ovário é muito silencioso! Portanto, meninas e mulheres que estão lendo este post, é muito importante que vocês se conheçam bem, que prestem atenção ao corpo de vocês e que procurem o ginecologista regularmente. O nosso corpo sempre dá sinais de alerta quando algo está errado. Não é pra gente ficar neurótica não. Mas, é fundamental que prestemos mais atenção no corpo em que vivemos e que cuidemos bem dele!

A Coalizão Nacional do Câncer de Ovário (National Ovarian Cancer Coalition) dos Estados Unidos lançou em 2006 uma campanha entitulada “Break the Silence on Ovarian Cancer” (Quebre o silêncio do câncer de ovário) com o objetivo de alertar as mulheres e seus médicos sobre os sintomas e fatores de risco do câncer de ovário. Eles desenvolveram um formulário para as mulheres preencherem e levarem aos seus médicos, caso os sintomas sejam alarmantes. O formulário está originalmente em inglês e para acessá-lo clique aqui.

Eu achei este formulário tão importante que eu fiz questão de traduzi-lo para que vocês, meninas e mulheres brasileiras, também tenham acesso:

Todos esses sintomas aliados a história familiar de câncer são muito sugestivos de câncer de ovário. As pessoas com antecedentes familiares com câncer devem ficar ainda mais atentas à saúde e precisam começar se prevenindo bem cedo. Nos posts mais pra frente vou falar de prevenção. Por agora, divulguem aos seus familiares e amigas os sintomas que podem indicar o câncer de ovário.

O câncer de ovário não é o mais comum entre as mulheres. O meu tipo mesmo (teratoma imaturo de células germinativas) é raríssimo e acomete adolescentes e mulheres jovens. Mas, cerca de 4.000 mulheres ao ano são acometidas pelo câncer de ovário no Brasil. Essa parcela da população pode não ser significante em comparação a outros cânceres na mulher, mas quando o câncer de ovário atinge uma amiga, irmã, mãe ou você mesma, ele se torna extremamente significante. Portanto, vamos quebrar o silêncio do câncer de ovário! Compartilhe este post!

Com carinho e desejos de muita saúde a todas nós,

Andresa Marinho

O post dos amigos!

Semana passada eu recebi a notícia da minha médica que meu sangue não tinha mais sinais de câncer. Até aqui, tenho muito que agradecer a Deus e à família, aos médicos
e também aos queridos amigos que me sustentaram e ainda me sustentam no decorrer dessa caminhada.

É dos amigos que quero falar hoje. Sem eles, a minha jornada contra o câncer seria mais difícil. Amigos de longas datas, de datas recentes, amigos de amigos que viraram meus amigos, amigos de fé, amigos-irmãos… aqui vai o meu sincero agradecimento!

Ainda no Canadá, me preparando para vir ao Brasil, pude contar com o apoio de amigos para chorar comigo, orar comigo, empacotar minhas coisas, mudar as minhas
coisas, carregar as minhas malas e dar aquele abraço que só os amigos sabem
dar! Não sei o que seria de mim se não fossem vocês! Sou grata a todos vocês
que pensaram e oraram por mim, mas especialmente:  Carluci e família, Babi, Pauline, Gaby , Tizi, Anne, Norine, Yunice e Angela… em Toronto! E fora os que de outras partes do Canadá me acompanharam por telefone e me ajudaram a tomar as decisões corretas, como a Dea em Vancouver.

Em Campinas-SP, durante a cirurgia, lá estavam eles! Eu e minha família fomos hospedados na casa da ABU, uma casa de estudantes que sabem muito bem o que é acolher outros estudantes perdidos na cidade. Eu era uma delas em 2002 e amei a experiência de passar um ano por lá. E agora com outra necessidade, fui mais que especialmente acolhida pelos amigos da casa da ABU! Além da companhia sempre agradável dos amigos da casa, foi um prazer rever os velhos amigos de Campinas e desfrutar da amizade deles num momento tão difícil. Queria agradecer especialmente: Tiaki, Jussara, Henderson, Aída, Claudinha,  Ana Raquel, Lucas Bracher, Carol e Juliano.

Na volta de Campinas para minha terra natal, dou uma paradinha em Vitória-ES, onde morei por quase 5 anos. Amo rever minhas amigas e amigos mineiros e capixabas. Foi lá que tive o meu primeiro corte de cabelo rumo à mudança radical que estava para
acontecer durante a quimio. Foi lá que caminhei à beira-mar, ainda meio fraca da cirurgia, na companhia de amigos queridos. Foi lá que compartilhei minhas primeiras descobertas de todo esse acontecimento em um círculo íntimo de amigas muito queridas. Especialmente agradeço à Juliana Hott, Juliana Assis, Eloisa, Cíntia, Andressa e Pastor Mário, e seus esposos e esposas e famílias, que direta e indiretamente me apoiaram e ainda me apoiam.

Então volto à minha terra natal para recuperar o fôlego e fazer novas consultas. E lá
estavam eles! As amigas de infância, os amigos da igreja, os vizinhos-amigos…
Obrigada Brígida, Dedé, Denise, Victor, Betânia, Edilza, Rosilene e a todos os
irmãos e irmãs em Cristo que oraram e continuam orando por mim!

Daí chega a hora de fazer as malas de novo. O caminho parecia indicar o tratamento com quimioterapia em São Paulo. A caminho, me hospedo em BH na casa do meu irmão e reencontro Grasi Veríssimo e família, Priscila, Lucas, Alexandre e amigos. Aproveito também a hospedagem de Cátia e Lukas Doro, pais da minha amiga Bárbara. Foi uma parada para eu recuperar o fôlego e seguir em frente! Valeu demais!

Chegando em São Paulo sou acolhida pelos meus amigos Tiago e Giovanna, onde fiquei por 1 mês ou mais, enquanto refazia todos os exames para se ter certeza que a quimio era um tratamento indicado. Eles me apoiaram e ainda acompanham com carinho cada passo, em oração e com especial atenção aos meus projetos. Alterno a
hospedagem deles com a casa da Cassinha e da Millene. Tivemos e ainda temos bons
momentos de compartilhar que fortalecem a fé, além de passeios turísticos e
comprinhas por São Paulo, né Mi? E ainda na primeira fase em São Paulo conheci
a Nívea, que em sua experiência com um câncer de mama, me ajudou muito a
entender os processos do tratamento.

Então vem a quimio. E quem primeiro me acolhe em São Paulo é a minha nova amiga Débora, que faz do seu apartamento a nossa casa e que se tornou no decorrer da caminhada uma grande amiga! Depois foi a hora de me hospedar na casa de Pedro e Mateus, que logo logo fizeram eu e minha mãe nos sentir em casa enquanto procurávamos um lugar mais definitivo pra ficar. Através do Pedro, também conheci outros bons amigos e amigas que me acompanharam nos “ups and downs” da quimio. Agradeço também à Mayra, Tânia e Netão por me ajudarem mais de perto durante o
tratamento.

Ainda em São Paulo, tive o privilégio de participar dos encontros da ABUB, durante os quais tive a oportunidade de estabelecer amizades com novos estudantes e companheiros de ministério. Ju Brunelli, André, Camila Leandro, Andrea Angé e Alê Audi Ricco, Tais Santos, Priscila e todos os outros amigos da ABU-SP que oraram e ainda me acompanham nesse Movimento tão gostoso que é a ABU. Para fortalecer ainda mais a comunhão, participei da igrejinha com as hermanas Tais e Ju Noronha e tantos outros que oraram e continuam orando pela minha recuperação.

Enfim, encontramos nosso cantinho em São Paulo! Inacreditavelmente, o contato veio do Canadá, através da minha amiga Tiziana. Quando entramos no apartamento fomos recebidas pela simpática e agora muito amiga, Vera. Ela nos fez acomodar em sua casa como se fosse a nossa também. Alugou-nos toda a casa pelo preço de um quartinho em São Paulo. Considero a casa da Vera o meu Lar de Recuperação. E eu e minha família a consideramos uma amiga muito especial, na verdade uma irmãzona, agora parte também da nossa família!

Ainda têm os amigos que não puderam participar pessoalmente do meu processo doença-saúde, mas que de longe oraram incessantemente pela minha cura e restauração. Agradeço a todos da lista de email (amigos brasileiros, canadenses, chineses, japoneses, etc) que me apoiaram em oração e pensamento durante o meu tratamento.

Não é à toa que este é o post mais longo do meu blog. Tenho o privilégio de ter uma lista longa de amigos que fizeram e fazem parte da minha vida de uma maneira muito
especial. Enquanto escrevo esse post, meu coração se aquece de gratidão a Deus
por ter colocado amigos tão especiais no meu caminho. Se hoje estou restabelecida, devo também a eles que expressaram o amor de Deus por mim.

Saibam que o meu amor e gratidão por vocês vai muito além desta homenagem no meu blog. Não podia adiar mais este blog de agradecimentos, pois estes estão sendo acumulados no decorrer de nossa amizade… Haja página de blog pra agradecer o que vocês fizeram e ainda fazem por mim! Que possamos usufruir da bênção da amizade por muitos e muitos anos de vida que, se Deus quiser, teremos pela frente!

Um beijo grande em todos! Qualquer coisa, se precisar, estou aí! 🙂

Este slideshow necessita de JavaScript.

%d blogueiros gostam disto: